Polícia prende suspeito de matar Arthur, 5 anos, vítima de bala perdida no Réveillon

Polícia prende suspeito de matar Arthur, 5 anos, vítima de bala perdida no Réveillon

ALCEU LIMA
Especial para o VERBO ONLINE, em São Paulo

A Polícia Civil prendeu na noite de terça-feira (2) um suspeito de matar Arthur Silva, de 5 anos, vítima de bala perdida durante a festa de Ano Novo, enquanto brincava na casa da família no Jardim Taboão (zona oeste de SP), na divisa com Taboão da Serra. O homem detido – que não teve a identidade revelada – teria feito de três a quatro disparos para o alto na noite de Réveillon. O menino foi ferido por um tiro de arma calibre 38, que atingiu a parte superior da cabeça.

Suspeito de ter efetuado disparo que matou Arthur, de 5 anos

Suspeito de efetuar disparo que matou Arthur, de 5 anos, é conduzido para 89º DP; exame balístico será feito

A polícia encontrou o revólver 38 ao vasculhar carro do suspeito, que disse ter atirado para celebrar a virada do ano. Ele foi localizado pela polícia a partir de interceptações telefônicas sobre pessoas investigadas por outros crimes. Uma das gravações mostraria que o homem fez disparos na rua onde o menino foi atingido. Ele teria admitido que atirou para o alto, mas no Jardim das Imbuias, em Parelheiros (zona sul de SP), região distante de onde a criança foi baleada.

Um exame de balística será feito no Instituto de Criminalística para apurar se a bala partiu do revólver. O delegado do 89º Distrito Policial (Morumbi) responsável pela investigação pediu à Justiça a prisão temporária do suspeito – que tem antecedente criminal por roubo. Se o exame mostrar que o tiro que matou Arthur partiu da arma, o homem será indiciado por homicídio doloso (assumir risco de matar). Caso contrário, ele será posto em liberdade, disse o delegado.

Ferido, Arthur foi levado pelos familiares ao Hospital Family, em Taboão, particular, onde foi constatado, após exames, ter sido atingido por um tiro. Como o hospital não tinha UTI, precisou ser transferido. Ele só foi internado mais de cinco horas depois de sofrer o ferimento, no Hospital Geral Pirajuçara, após a família tentar vaga em cerca de dez hospitais – públicos e particulares. Arthur foi enterrado na tarde de terça-feira (2), no Cemitério Parque Jaraguá (zona oeste de SP).

Compartilhe pela fanpage do VERBO ONLINE