Após Itapecerica, Taboão e Embu vacinam contra febre amarela a partir desta 2ª

Após Itapecerica, Taboão e Embu vacinam contra febre amarela a partir desta 2ª

ADILSON OLIVEIRA
Especial para o VERBO ONLINE, em Embu das Artes

A partir desta segunda-feira (18), as unidades básicas de saúde de Taboão da Serra e Embu das Artes vacinam contra a febre amarela. Em Taboão, os moradores poderão receber a dose nas UBS das 8h às 17h. Em Embu, os postos irão vacinar das 10h às 16h. As prefeituras afirmam que não há motivo para pânico, já que as cidades não registram casos da doença – nem mesmo Embu, limítrofe a Itapecerica da Serra, que já identificou o vírus e vacinou no fim de semana.

Secretários de Saúde de Embu, José Alberto Tarifa, e Taboão, Raquel Zaicaner,

Secretários de Saúde de Embu, José Alberto Tarifa, e Taboão, Raquel Zaicaner, que irão conduzir a vacinação

Segundo a Secretaria de Saúde de Taboão, chefiada por Raquel Zaicaner, a vacinação regular nas UBS é suficiente, porque Taboão é quase todo urbano, não tem floresta, não é povoado por macacos e não tem o inseto transmissor da doença, o Haemagogus. A secretaria diz que não é necessária correria aos postos de saúde, já que toda a população, gradativamente, será vacinada – em 2018 a vacina contra a febre amarela integrará o calendário de imunização.

Além das UBSs, a vacinação em Taboão será feita em postos volantes em bairros que tem “mato”, áreas verdes adensadas, como Parque Laguna, Mirna, Monte Alegre, Recanto dos Pássaros, entre outros. A secretaria fala em ter uma atenção maior nesses locais, mas frisa que não é preciso pânico, que Taboão não tem casos de febre amarela nem macacos infectados. Esclarece que o macaco não transmite o vírus, e sim o Haemagogus e o mosquito Sabethes.

Em Embu, a Secretaria de Comunicação anunciou que as “unidades participantes” da vacinação contra a febre amarela serão as do Ressaca, Itatuba, Mimás, Pinheirinho e Vista Alegre, mas as doses serão dadas nos demais postos. “Temos algumas UBS que são prioritárias, pela sua localização que tem continuidade da mata de Itapecerica e Cotia, onde foram encontrados macacos contaminados com o vírus”, disse ao VERBO o secretário de Saúde, José Alberto Tarifa.

“Apesar de algumas serem prioritárias, vamos disponibilizar a vacina em todas as UBSs de Embu, já a partir de amanhã [esta segunda]. A campanha começa oficialmente no dia 6 de janeiro, mas vamos antecipar para evitar tumultos. Não temos casos em macacos nem em humanos no município, portanto, é importante que a população fique tranquila. Iremos vacinar 100% da população”, disse Tarifa. Ele reforça que o macaco não transmite a doença, e sim o mosquito.

Nem todas as pessoas, porém, podem tomar a vacina contra a febre amarela. É contra indicada a gestantes, mulheres que estão amamentando, crianças menores de nove meses, diabéticos, cardíacos, idosos (a partir de 60 anos), e pacientes com baixa resistência imunológica, como os em tratamento de quimioterapia, radioterapia ou com corticoides em doses altas (portadores de HIV, lúpus, por exemplo). Também alérgicos à proteína do ovo ou gelatina.

As mulheres que estão amamentando que optarem por tomar a vacina contra a febre amarela precisam suspender a amamentação por dez dias. As pessoas com contra-indicação devem consultar um médico antes de optar por ser vacinadas. Também basta uma dose para ficar imune à doença. Se a pessoa tem certeza que já tomou a vacina, não precisa receber uma segunda dose, para não estar sujeito a hiper-reação. É importante levar a carteira de vacinação.

Causada por um vírus, a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, que pode levar a pessoa infectada à morte em cerca de uma semana, se não tratada rápido. Os sintomas mais comuns são: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça e muscular, náuseas e vômitos que duram, em média, três dias. Nas formas mais graves, podem ocorrer icterícia (pele e olhos amarelados), insuficiências hepática e renal, hemorragia e cansaço intenso. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados. Não há transmissão direta de uma pessoa infectada para outra.

> Compartilhe na fanpage do VERBO ONLINE