Familiares e amigos clamam liberdade de Denivaldo e aguardam decisão no dia 12

Familiares e amigos clamam liberdade de Denivaldo e aguardam decisão no dia 12

RÔMULO FERREIRA
Reportagem do VERBO ONLINE, em Embu das Artes

Familiares e amigos de Denivaldo Jesus de Matos, 42 anos, funcionário dos Correios em Embu das Artes, buscam apoio de políticos e da sociedade para provar a inocência do carteiro, preso desde o dia 24 de outubro sob a acusação de peculato, membro de organização criminosa e falso testemunho. Segundo parentes, depois de fazer o reconhecimento dos dois homens que o assaltaram, Denivaldo passou a ser acusado pelos bandidos de planejar e simular os crimes.

Familiares, amigos e conhecidos de Denivaldo protestam na av. Paulista

Familiares, amigos e conhecidos de Denivaldo protestam na Paulista pela liberdade do carteiro de Embu preso

Vereador Gerson Olegário mostra moção de apelo aprovada na Câmara em favor de Denivaldo (dir.)

Vereador Gerson Olegário mostra moção de apelo aprovada na Câmara de Embu em favor de Denivaldo (dir.)

Morador na região do Jardim Vazame, Denivaldo sofreu o assalto no dia 16 de junho, mas os ladrões foram presos em flagrante com a mercadoria roubada, de acordo com a família. Tudo ocorreu normalmente, ele fez o reconhecimento dos criminosos e voltou para casa. Em setembro, chegou outra convocação para que desse mais esclarecimentos sobre o fato. Em depoimento, os homens o acusaram de integrar uma quadrilha e aliciar menores de idade para os crimes.

No momento do relato de Denivaldo, a juíza interpretou que estava mentindo e deu voz de prisão ao depoente. “Há essa controvérsia entre a palavra do meu irmão e a dos ladrões, mas a palavra dos ladrões é que está prevalecendo”, disse ao VERBO José Evaristo, irmão de Denivaldo. “Parece ser uma prisão arbitrária, meu irmão não tem nenhum antecedente criminal, não tem nada que o ligue ao crime ou que mostre que ele esteja envolvido”, afirmou Evaristo.

Denivaldo trabalha nos Correios em Embu há 20 anos e há dois dirige veículo de entrega da empresa. Após a ordem de prisão, ele ficou detido na sede da Polícia Federal em São Paulo até o dia 23 de novembro, quando foi transferido ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Pinheiros (zona oeste da capital), onde permanece até agora. Família e amigos compareceram em peso à sessão da Câmara de Embu no dia 29 passado e clamaram pelo apoio dos vereadores.

Após um irmão fazer depoimento emocionado, às lágrimas, na tribuna do Legislativo, em que reafirmou a inocência de Denivaldo, os parlamentares aprovaram uma moção pela liberdade do carteiro, por iniciativa de Gerson Olegário (PTC). “Nós vereadores da Câmara Municipal de Embu das Artes, abaixo assinados, apresentamos […] moção de apelo, pela injusta e desmedida prisão do senhor Denivaldo Jesus de Matos”, diz o documento, aprovado por unanimidade.

Familiares, amigos e conhecidos de Denivaldo realizaram na segunda-feira (4) uma manifestação de “clemência” em favor do carteiro em frente ao Tribunal Regional Federal, na avenida Paulista (região central da capital). Com cartazes com os dizeres “Todos por Denivaldo” e “Preso injustamente”, cerca de 150 pessoas participaram do protesto. Além de Gerson, estiveram presentes também os vereadores Hugo Prado (PSB), presidente da Câmara, e Rosângela Santos (PT).

Para o irmão do acusado, a manifestação foi positiva e a expectativa é de que surta efeito e sensibilize o Judiciário – a família tinha prometido, após a mobilização na Câmara, fazer outros atos públicos até uma decisão favorável da Justiça. “Estamos aguardando resposta que tende a sair no dia 12 deste mês [de dezembro], mas, por enquanto, a situação é a mesma”, disse José Evaristo ao VERBO. “O que está acontecendo é uma injustiça, não há dúvida”, declarou o familiar.

NOTA DA REDAÇÃO – A data aguardada para resposta da Justiça é dia 12 de dezembro (terça-feira), conforme já retificado.

> Colaborou Gabriel Binho, especial para o VERBO ONLINE, em São Paulo
> Compartilhe pela fanpage do VERBO ONLINE