Conferência de Educação discute inclusão e humanização na rede escolar em Taboão

Conferência de Educação discute inclusão e humanização na rede escolar em Taboão

RÔMULO FERREIRA
Reportagem do VERBO ONLINE, em Taboão da Serra

Promovida pela Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia de Taboão da Serra, a Conferência Municipal de Educação (Conae) reuniu nesta terça-feira (28), no Cemur (centro), professores, coordenadores pedagógicos, diretores e gestores que discutiram o tema “Educação e diversidade: democratização, direitos humanos, justiça social e inclusão”. Garantir acesso e qualidade do ensino na rede pública a crianças e jovens com deficiência é uma demanda ainda a ser suprida.

Professores, coordenadores pedagógicos, diretores e gestores na Conferência Municipal de Educação

Professores, coordenadores pedagógicos, diretores e gestores na Conferência de Educação de Tabão, no Cemur

Secretário de Educação de Taboão, João Medeiros,

Secretário de Educação, João Medeiros, que destacou os trabalhos de inclusão social e defendeu ‘unir forças’

Além do secretário municipal de Educação, João Medeiros, que conduziu a conferência, estiveram presentes o vice-prefeito Laércio Lopes (sem partido), a secretária adjunta de Saúde, Alexandra de Lara, a médica pediatra e homeopata do Caps (Centro de Atenção Psicossocial) de Taboão, Maria Solange Gosik, a dirigente da Diretoria de Ensino de Taboão, Maria Bighetti, e as coordenadoras do curso de pedagogia das faculdades Anhanguera em Taboão e Fecaf.

Medeiros falou aos participantes sobre os trabalhos de inclusão social na educação desenvolvidos no município desde a época da inauguração da Emef Antônio Fenólio, na região da praça Luiz Gonzaga, no Pirajuçara. Relatou exemplos que deram início aos trabalhos inclusivos e os que são realizados atualmente. Para ele, a proposta da conferência é unir forças para que a ação voltada às crianças e adolescentes com deficiência seja cada vez mais efetiva no município.

“A intenção é agregar esses grupos, a rede estadual de ensino, a saúde municipal, as universidades privadas, e ver como se revela a cidade no campo desse trabalho”, disse Medeiros ao VERBO. Ele viu como positivo o debate, mas disse ser preciso continuar – a conferência municipal é seguida da regional e nacional, que abordará “monitoramento, avaliação e proposição de políticas para a garantia do direito a educação de qualidade social, pública, gratuita e laica”.

“Foi bastante produtivo, acho que esse encontro vai ter que continuar, aliás, esse debate é contínuo. Acho importante, por exemplo, o trabalho que a doutora do Caps vai fazer com nossos coordenadores pedagógicos, já fechamos. Já fechamos também a possibilidade de conversar com os futuros professores nas faculdades [Fecaf e Anhanguera] e apresentar esse trabalho”, afirmou Medeiros, que no atual mandate de Fernando Fernandes é secretário desde 2013.

Para Maria Bighetti, a Conae possibilita mostrar o trabalho inclusivo feito pela diretoria de ensino de Taboão. “A nossa principal função é ensinar e fazer com que a aprendizagem aconteça. Para isso, fazemos um trabalho de humanização. Trabalhamos no protagonismo juvenil e na gestão democrática. Entendo que toda a educação perpassa pela questão da humanização, de dar oportunidade aos nossos jovens para que realizem as suas aprendizagens”, disse a dirigente.

> Compartilhe pela fanpage do VERBO ONLINE