‘Azarão’, Tabuca Jrs. luta, mas é vice-campeão da 2ª Copa Casa Branca de Futsal

ALCEU LIMA
Especial para o VERBO ONLINE, em Embu das Artes

As meninas do Tabuca Jrs., de Taboão da Serra, ficaram com o vice-campeonato da 2ª Copa Casa Branca de Futsal Feminino – Série Prata ao perderem a final para o Niterói por 4 a 2, neste domingo (5), na quadra do Jardim Casa Branca, em Embu das Artes. Geisa (dois), Michele e Pâmela fizeram os gols do time da região de Santo Amaro (zona sul de SP). A pivô (atacante) Nath e a ala (lateral) Dani marcaram para a equipe taboanense – formada só há cinco meses.

Meninas do Niterói e técnico Marcos Roberto com troféu de campeão

Meninas do Niterói (SP) e técnico Marcos Roberto com troféu de campeão da 2ª Copa Casa Branca série prata

Meninas do Tabuca Jrs., técnico Tiago e comissão técnica erguem troféu do vice-campeonato

Meninas do Tabuca Jrs., treinador Tiago e comissão técnica com troféu de vice-campeão após derrota por 4 a 2

O Niterói dominou o jogo no primeiro tempo e fez 2 a 0. O Tabuca Jrs. diminuiu, mas o time paulistano fez prevalecer a superioridade em quadra e ampliou para 3 a 1. Na segunda etapa, a equipe de Taboão melhorou e jogou de igual para igual em parte dos 20 minutos finais, a ponto de balançar a rede da meta adversária pela segunda vez. As comandadas do técnico Tiago Camara não conseguiram, porém, empatar e no fim do jogo sofreram o quarto gol que selou o placar.

Jogadora decisiva do Niterói, Geisa destacou o empenho coletivo para a alcançar novo título para o time – que faturou o bicampeonato, já que era o atual campeão da Copa Casa Branca quando, no ano passado, a competição tinha série única. “É mais uma conquista no ano, todos os anos estamos levantando um caneco, agora não foi diferente. Mas é fruto de muito trabalho do treinador e das meninas no dia a dia”, disse a camisa 8, que mora em Taboão da Serra.

O técnico Marcos Roberto lamentou que o Niterói não fez a decisão da série principal da copa. “As mudanças no elenco dificultaram o trabalho, perdemos e caímos para [série] prata. Mas procuramos propor o jogo, trabalhar a bola, fomos castigados com a bola largada no meio e tomamos gols. Mas o jogo foi bom, tem meninas que jogam comigo oito, nove anos, acaba sendo um trabalho feito com carinho e também responsabilidade, porque todos queremos ganhar”, disse.

Do lado do Tabuca Jrs., as autoras dos gols avaliaram que o time não fez feio. “Tomamos gols bestas que acabaram atrapalhando, mas quase deu para reverter. Está de parabéns a equipe”, disse Dani. “A gente jogou bem, foi para cima, só que elas foram melhores. Mas são só cinco meses de Tabuca, no primeiro campeonato fomos terceiro, agora fomos segundo, quem sabe em outro a gente não é campeão”, disse Nath, ao lado da filha de 2 anos. “Vai ser tabuquinha.”

O técnico do time de Taboão disse que o elenco não decepcionou, pelo contrário. “Sabíamos que ia ser um jogo muito difícil, o Niterói era o atual campeão, tem uma equipe muito qualificada. E o Tabuca entrou como azarão na copa, várias pessoas falaram ‘o Tabuca não vai chegar a lugar nenhum, vai ser saco de pancada’, e chegamos aqui e perdemos para uma baita equipe. Sem tirar o mérito do adversário, tomamos três gols bestas, isso fez a diferença no final”, disse Tiago.

FICHA TÉCNICA
Niterói 4 x 2 Tabuca Jrs.
Final da 2ª Copa Casa Branca de Futsal Feminino – Série Prata
Gols – Geisa (dois), Michele, Pâmela (Niterói) / Nath, Dani (Tabuca Jrs.)

> Compartilhe pela fanpage do VERBO ONLINE