Um dos mortos no Morumbi, pelo menos, assaltou Alcionei, que parabeniza polícia

RÔMULO FERREIRA
Reportagem do VERBO ONLINE, em São Paulo e em Embu das Artes

Pelo menos um dos dez homens mortos em confronto com policiais civis durante roubo a residência no Morumbi (zona sul de SP) na noite de domingo (3) assaltou um secretário municipal de Embu das Artes, que ficou ferido, disse a polícia. Delegado do caso não citou o nome, mas a vítima seria Alcionei Miranda, que chefia a pasta de Indústria e Comércio e Serviços do governo Ney Santos (PRB). Em 24 de abril deste ano, Alcionei teve a casa invadida e foi baleado na perna.

Um dos carros usados por ladrões e autores de roubo a residência no Morumbi mortos

Um dos carros usados no assalto a residência no Morumbi e criminosos mortos em confronto com Polícia Civil

Delegado Zaccaro ao falar sobre assalto frustrado, e Alcionei em hospital após ser ferido em abril

Delegado Zaccaro ao falar sobre assalto frustrado e Alcionei após ser ferido ao ter residência invadida em abril

Alcionei não estava na residência, na região central. Ao chegar, viu movimentação estranha, sacou pistola que portava e trocou tiros com parte do bando, três homens, que fizeram mais de 30 disparos. “Alguns bandidos vieram me render, meu filho já estava rendido. Consegui reagir, troquei tiros com eles, estavam em sete, inclusive com fuzil. Tomei um tiro na perna, mas a bala já foi retirada, tomei algumas escoriações. Levaram poucas coisas, foi só um susto”, disse à época.

Em entrevista na segunda-feira (4) para relatar a ocorrência, o delegado Ítalo Zaccaro Neto, responsável pela operação, citou o caso na região. “Dessas cinco pessoas que faleceram, cinco eram procuradas por roubo, tráfico. Tem gente que tem envolvimento com roubo a residência no Morumbi desde 2010, 2011. Investigamos que gente que roubou em Piracicaba [SP], roubou um secretário municipal de Embu, que acabou sendo baleado, faz parte dessa quadrilha”, disse.

Indagado se os criminosos eram de Taboão da Serra e Capão Redondo, o delegado disse “misturado”. “Zona sul. Tem um pouquinho do Grajaú. Ele [um dos assaltantes] estava frequentando a região do Campo Limpo, lá pelo finalzinho, bem no fundão, depois da [avenida] Carlos Lacerda”, falou. Apesar de a localização indicar que algum poderia ser de Embu, ele não citou a cidade. Porém, uma moradora de Embu contou ao VERBO que um dos mortos “era meu vizinho”.

Zaccaro disse que com os criminosos mortos os assaltos a moradores do Morumbi e localidades próximas vão cair muito. “Pela vivência, pelos dados que temos, como aconteceu com [roubos a] caixas eletrônicos, o roubo a residência, com violência, [bandidos] batendo nas pessoas, com arma de grosso calibre, não posso falar que vai zerar, mas acreditamos que vai diminuir bastante na região da zona sul. Era uma das maiores quadrilhas que atuavam ali”, disse.

O delegado foi questionado como nenhum policial foi ferido e se os agentes não se excederam – um dos suspeitos levou 33 tiros, e ao todo os bandidos foram alvo de 141 disparos. “Acreditamos que a eficiência vem de Deus e porque estamos do lado do bem, e eles, do lado do mal. Segundo, temos treinamento para isso. […] Eu encontro dez caras com fuzis, pistolas, coletes atirando em mim, e tenho que falar ‘Meu nome é Ítalo, espera um pouco’? Difícil isso. Minha função é aceitar as críticas e fazer o melhor que posso para a população, dentro dos recursos e possibilidades”, disse.

Alcionei tomou conhecimento pelo delegado de que teve a casa invadida por pelo menos um dos homens mortos em confronto com a polícia no Morumbi – quando teve alta do hospital, o secretário passou a usar uma bengala até se recuperar do ferimento na perna (direita) e teve adiada cerimônia em que ia empossar o Conselho Empresarial da secretaria que chefia. “Soube e já fui falar com ele [Zaccaro] ontem. Parabenizei pela ação”, disse Alcionei ao VERBO.

> Compartilhe pela fanpage do VERBO ONLINE