Com críticas a governos do PT, Ney instala universidade pública de ensino a distância

PEDRO HENRIQUE FEITOSA
Especial para o VERBO ONLINE, em Embu das Artes

Em noite cheia de referências a tentativas de prefeitos anteriores de trazer uma instituição de ensino superior pública para Embu das Artes, o prefeito Ney Santos (PRB) inaugurou na quinta-feira (24) o polo da UniVesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo) em Embu, que funcionará dentro parque Francisco Rizzo e terá 200 alunos em quatro cursos a distância – engenharia da computação, engenharia de produção, licenciatura em matemática e em pedagogia.

Ney (dir.) no descerramento da placa da UniVesp, ao lado do vereador Hugo Prado (esq.) e secretário Léo Novais

Ney (dir.) no descerramento da placa da UniVesp, ao lado de Hugo, Léo Novais e Fernando Fernandes (à esq.)

Observado por Fernando Fernandes, Ney lembra

Observado por Fernando, Ney discursa e cita que anúncio de universidade em 2010 não passou de promessa

Alunos dos quatro cursos da UniVesp de Embu têm aula inaugural do professor

Alunos dos quatro cursos da UniVesp de Embu têm aula inaugural do professor “Papau” ao final da cerimônia

Em discurso, Ney disse que a inauguração de polo da UniVesp é um acontecimento importante para Embu e lembrou que em 2010 a cúpula do PT, dos ex-prefeitos Geraldo Cruz e Chico Brito, anunciou uma universidade pública para Embu, mas que não passou de promessa. “É motivo de muito orgulho ser prefeito e participar deste momento. Quando foi lançado o programa da UniVesp, tivemos a oportunidade de correr atrás para fazer isso se tornar realidade”, disse.

“Passou um filme na minha cabeça, lembrei que em 2010 o sonho da nossa população foi frustrado, e hoje estas 200 pessoas representam toda uma população que sonhou com a universidade. Essa conquista é nossa, é do povo da nossa região e do povo de Embu”, completou Ney. Apesar de criticar o “evento político”, Ney, candidato a deputado federal à época, aproveitou para “capitalizar” o anúncio da universidade e tirou fotos com caciques petistas no ato.

Léo Novaes, secretário de Serviços Urbanos, mas chamado à mesa por ser candidato de Ney a deputado, também alfinetou as gestões do PT e disse que Embu não teve parcerias por “rixa” política. “O governo do Estado está logo ali, mas faltou vontade política, uma sigla partidária estava sempre à frente da vontade do povo. Quem tem compromisso com o povo faz política pensando em gente, sem pensar no ego e sem colocar qualquer ferida política na frente”, disse.

O presidente da Câmara de Embu também citou a vontade política da prefeitura em procurar o Estado, mas frisou que a UniVesp contribuirá para capacitar a população na atual dificuldade econômica no país. “Estamos oferecendo a maior oportunidade para que vocês possam se capacitar. Temos mais de 14 milhões de desempregados e o que precisamos é de capacitação, formação, para que possamos gerar emprego não só na nossa cidade, mas no país”, disse Hugo Prado.

Presidente do Conisud (consórcio intermunicipal), o prefeito de Taboão da Serra, Fernando Fernandes (PSDB), disse que a chegada da UniVesp em Embu é importante para a região porque as cidades estão interligadas. “Qualquer coisa que traga algum avanço a um município afeta a todos. Estou aqui com muita alegria e esperança de que essa universidade virtual vai trazer muito desenvolvimento regional, melhorando a vida das pessoas que moram aqui”, declarou.

O secretário de Educação de Embu, Pedro Angelo, ressaltou que em pouco tempo, “em três meses, estruturamos esse espaço” para receber a UniVesp e que a população de Embu terá ensino superior de qualidade que boa parte do país não tem. “É uma grande responsabilidade quando o país tem apenas 18% das pessoas estudando em universidades, e poucos têm a oportunidade de usufruir de uma universidade pública. Na crise é na educação que se investe”, disse.

A professora Marcia Garcia, coordenadora da UniVesp, que citou o vice-governador Márcio França como chefe da pasta idealizadora da instituição, parabenizou os 200 alunos que formam a primeira turma em Embu e disse que espera pelo reencontro. “Vocês já fizeram a diferença em encarar essa oportunidade e estar aqui. Sucesso, muita garra, não desistam, vocês vão precisar da persistência, e se Deus quiser vamos nos encontrar novamente na diplomação”, disse.

Enquanto políticos de Embu citavam apenas a “primeira universidade pública” da cidade e evitavam falar que a UniVesp é “virtual”, Márcia disse que, diferente do passado “em que existia preconceito em relação ao ensino a distância, hoje o ensino presencial tem seus dias praticamente contados”. A estrutura do polo embuense consiste em duas salas de aula, um laboratório de informática, uma secretaria, uma sala de coordenação e uma sala de estudos, além de banheiros.

A cerimônia de instalação da UniVesp de Embu terminou com aula inaugural do professor Paulo Sartori, o “Professor Papau”, pioneiro no ensino a distância. “Fico muito emocionado de participar deste projeto, para cada aluno presente aqui, a importância de fazer parte dessa universidade é muito grande. A responsabilidade que eles têm com a família já está compensada pela alegria de ter passado no vestibular. Parabéns a Embu das Artes e região pela iniciativa”, disse.

> Compartilhe pela fanpage do VERBO ONLINE