Morre d. Paulo Evaristo, símbolo da luta contra ditadura e defensor dos pobres

ADILSON OLIVEIRA
Especial para o VERBO ONLINE

Após 16 dias internado para tratar de problemas pulmonares, o cardeal dom Paulo Evaristo Arns, um dos símbolos da luta contra as arbitrariedades da ditadura militar (1964-85) e pela redemocratização do Brasil, morreu no fim da manhã desta quarta-feira (14), em São Paulo, aos 95 anos. Dom Paulo, arcebispo emérito (aposentado) de São Paulo, defensor dos pobres, estava no Hospital Santa Catarina, na UTI – estava com broncopneumonia e teve piora na função renal.

D. Paulo, que estava hospitalizado desde 28 de novembro em São Paulo e morreu nesta manhã (14) aos 95 anos

“Comunico, com imenso pesar, que no dia 14 de novembro de 2016 às 11h45, o Cardeal Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Emérito de São Paulo, entregou a sua vida a Deus, depois de tê-la dedicado generosamente aos irmãos neste mundo”, diz o cardeal arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer, em informe ao público. Dom Paulo foi o líder dos católicos da região até 1989 e logo após se aposentar, em 1998, passou a residir em casa de repouso de freiras em Tabão da Serra.